quinta-feira, 17 de novembro de 2011

A palhaça...

Que saudade é essa, meu Deus?
Quando aprenderei a ser menos sincera?
Estou aprendendo nesta vida de quimeras,
Que a palhaça do amor sempre sou eu...

T. Sales
(...)

2 comentários:

  1. Retribuindo a visita!
    E agradecendo.
    Parabéns pelo seu blog, há muito tempo não via esse tipo de poemas, como o que tu postas, com métrica, rimas preciosas, quase musicais. Ótimo trabalho!

    ResponderExcluir
  2. Toc, toc, toc...

    Sinto que tem coisas legais por aqui!

    Apenas visitando...

    ResponderExcluir